Dia do Cientista Social: pesquisadora revela como a aceleração digital impacta na profissão

“Hoje o trabalho do cientista social inclui o uso intensivo de computador e dados digitais”, ressalta Juliana Marques, cientista social e pesquisadora do FGV CPDOC.
Ciências Sociais
22 Julho 2022
Dia do Cientista Social: pesquisadora revela como a aceleração digital impacta na profissão

Compreender a estrutura e o funcionamento das relações estabelecidas na sociedade, seja na política, nas manifestações culturais ou nos movimentos sociais, é o objetivo das Ciências Sociais.

Hoje, 22 de julho, é comemorado o dia do Cientista Social. Para homenagear esses profissionais, o FGV Notícias conversou com Juliana Marques, pesquisadora do FGV CPDOC, cujos interesses de pesquisa são voltados para humanidades digitais e para políticas de redução das desigualdades. Nessa entrevista, ela fala sobre como a aceleração digital e a multiplicidade de carreiras têm transformado o cotidiano dessa profissão.

Desde quando as transformações digitais impactam a vida do cientista social?

As transformações digitais impactam as ciências sociais, sem sombra de dúvidas, e isso desde o início do desenvolvimento da computação. Como exemplo deste processo temos, ainda em 1949, a indexação eletrônica de toda a obra do filósofo Tomás de Aquino, por um professor de filosofia e padre jesuíta chamado Roberto Busa.

Quais ferramentas digitais são mais relevantes para o seu dia a dia?

Gosto de relembrar o impacto do início da comercialização dos computadores pessoais, no fim dos anos 1970 e início dos anos 1980, do desenvolvimento da internet ao longo dos anos 1990 e que só começou a se popularizar, aqui no Brasil, a partir da virada do milênio com a web 2.0. Temos familiaridade no dia a dia com uma web de maior interatividade, em que conseguimos produzir conteúdo mais facilmente. Tudo isso já é uma grande transformação.

Além disso, programas que estão integrados à nossa prática, como word, power point, e que são dos anos 1980, estão sendo progressivamente substituídos na academia, na área de pesquisa, por outro conjunto de aplicações e ferramentas, como o ambiente do Jupyter Notebook.  Ele permite ao cientista social produzir um texto ao mesmo tempo que faz uma análise mais sofisticada, com o uso de algoritmos e inteligência artificial e todo esse aparato que a ciência da computação e os seus desenvolvimentos recentes trazem.

Qual a abrangência de atuação do Cientista Social? 

O conhecimento especializado abrange instituições políticas, transformações econômicas, manifestações culturais e movimentos sociais, do local ao global. A pesquisa social é realizada tanto no ambiente acadêmico das universidades e institutos de pesquisa, como também em posições de intervenção e articulação social mais direta, em organizações governamentais e da sociedade civil, órgãos internacionais e em empresas.

Como o trabalho do cientista social incorpora na prática o uso da tecnologia digital?

Basicamente, hoje o trabalho do cientista social inclui o uso intensivo de computador e dados digitais. Existe uma série de saberes interdisciplinares que são incorporados ao nosso curso, vindos da ciência da informação e da computação, estatística, a nova ciência de dados que vai incorporar a inteligência artificial.  Além disso, há vários outros métodos e ferramentas digitais para trabalhar, conectar e disseminar dados digitais e resultados de pesquisa.

Quais as novas possibilidades de carreira que surgiram com a aceleração digital?

Com a aceleração da transformação digital, a carreira de cientista social se diversifica e profissionais da área podem atuar como Cientistas de Dados, transformando grandes volumes de informação em dados relevantes, devidamente contextualizados e relacionados a questões socioeconômicas e históricas.

No mercado privado, mais especificamente, cientistas sociais podem trabalhar como "UX Researchers", ou seja, aplicar sua experiência em projetos guiados por dados para conectar serviços e produtos digitais com os diversos públicos e usuários finais de uma empresa. Além de poder ser um Pesquisador Acadêmico ou um Professor, o profissional também pode atuar como Curador Digital em qualquer posição do mercado e em governos, implementando planos de gestão e de análise de dados ou de serviços digitais, sempre mobilizando sua aguçada capacidade crítica e analítica.

Quais habilidades você enxerga como necessárias para o cotidiano de um cientista social?

Habilidades para trabalhar em equipes interdisciplinares, incluindo uma boa comunicação com públicos diversos e mais amplos.

Quais os tipos de produções da área de Ciências Sociais?

Produzimos muito além de um artigo científico ou um livro. Há uma série de outros formatos que são resultado da nossa pesquisa e prática profissional. Relatórios específicos, dashboards com dados, visualizações que nos ajudam a interpretar e a descobrir fatores que são relevantes para a nossa agenda, com o objetivo de solucionar problemas que existem na sociedade e nas organizações.

Qual a forma de inserção do Cientista Social no mercado de trabalho?

Existe a atuação cada vez maior dos Cientistas Sociais no mercado de modo geral, incluindo em empresas privadas. É um momento estimulante e que tem apontado para a valorização de saberes interdisciplinares, mas também para a renovação da compreensão do quão importante é o saber tradicional e já consolidado das Ciências Sociais.

A contribuição do Cientista Social é enorme, fazendo uso de métodos tradicionais e de novos métodos computacionais, que muitas vezes são desenvolvidos em outras áreas. Cientistas sociais também devem atuar para o desenvolvimento e a crítica dessas aplicações novas, que também são úteis para nós.

Como o FGV CPDOC busca se atualizar em relação às novas tecnologias digitais e a multiplicidade de carreiras?

Os cursos de Ciências Sociais têm se atualizado em relação às necessidades e transformações provenientes da transformação digital É o nosso caso no FGV CPDOC. A grade é constantemente discutida e revista e a gente experimenta com vários formatos, testa diferentes pedagogias do digital. Há ênfase em cursos mais práticos e de menor duração, até porque as tecnologias se transformam rapidamente. É um momento desafiador e promissor. Porque a nossa capacidade de processamento de análise está aumentada com a ajuda do que o computador pode fazer de acordo com as nossas demandas.

Qual conselho você daria para quem está ingressando no curso de Ciências Sociais?

Para quem acaba de ingressar em Ciências Sociais, sugiro se engajar em projetos práticos e colaborativos, que integram o conhecimento teórico bem consolidado da área com a dimensão aplicada da pesquisa. Recomendo, também, ganhar experiência com diferentes métodos de análise, dos qualitativos aos quantitativos, passando pelo computacional. É um campo abrangente e fascinante.

Esta matéria faz parte da série especial Conexões para o futuro: Dia do Cientista Social.

Conheça o curso de Ciências Sociais da FGV.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.