Dia Mundial da Educação: Visitas escolares na Casa Acervo têm compromisso com a agenda global

Essa data enfatiza o papel transformador da educação no progresso social e econômico, reforçando a importância de sistemas educacionais inclusivos e equitativos para todos.
Ciências Sociais
26 Abril 2024
Dia Mundial da Educação: Visitas escolares na Casa Acervo têm compromisso com a agenda global

No dia 28 de abril, comemora-se o Dia Mundial da Educação. A data representa o compromisso com o desenvolvimento educacional global firmado entre líderes de 164 países, incluindo o Brasil, durante o Fórum Mundial de Educação realizado em 2000, resultando em uma agenda de objetivos a serem alcançados até 2030.

De acordo com Daniele Amado, coordenadora do Programa de Arquivos Pessoais do FGV CPDOC e professora do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais – (PPHPBC FGV CPDOC), o Brasil enfrenta desafios significativos para alcançar esses objetivos. Entre eles estão:

  • Garantia de acesso universal ao ensino básico de qualidade, especialmente em regiões remotas e desfavorecidas;
  • Melhoria da infraestrutura e recursos nas escolas públicas;
  • Valorização e capacitação de professores;
  • Combate às desigualdades socioeconômicas que impactam diretamente na qualidade da educação.

Essa data enfatiza o papel transformador da educação no progresso social e econômico, reforçando a importância de sistemas educacionais inclusivos e equitativos para todos. Também é uma oportunidade de reflexão sobre a importância de envolver as famílias, comunidades e sociedade civil no processo educacional, reconhecendo seu papel no apoio ao aprendizado das crianças e jovens.

Nesse sentido, a coordenadora aborda uma das iniciativas do FGV CPDOC, a Escola no Acervo.

Escola no Acervo

A Escola no Acervo recebe na Casa Acervo FGV CPDOC, desde 2022, visitas escolares numa sala educativa e interativa desenvolvida para tal. Promove de forma lúdica um diálogo entre estudantes do ensino básico e o acervo histórico, formado por arquivos pessoais de mulheres e homens, custodiado pelo FGV CPDOC.

Esse diálogo é mediado por uma equipe educativa que atua na perspectiva de uma educação horizontal, afetuosa, de escuta e respeito à pluralidade de conhecimentos, como propõem Bell Hooks e Paulo Freire.

Sobre as visitas

Ao realizar escutas atentas e observações cuidadosas, a equipe consegue identificar uma variedade de necessidades e preferências entre os visitantes, o que resulta na oferta de diferentes formatos de visita. Essa flexibilidade se manifesta de diversas formas, desde a percepção das dificuldades de leitura em alguns grupos até a inclusão de elementos mais próximos do cotidiano de certos jovens. Essas práticas visam criar um ambiente acolhedor e propício para a construção de pontes e diálogos durante a visita.

Durante o encontro os grupos são convidados a debater sobre a problematização das fontes históricas, a análise e a crítica dos registros do passado e da realidade, colocando estudantes e professores do ensino básico como protagonistas e produtores de conhecimento histórico, favorecendo assim o desenvolvimento de uma consciência cidadã. Também têm a oportunidade de conhecer um pouco do trabalho de gestão realizado pela equipe responsável pelo acervo histórico do FGV CPDOC. São abordados temas como a captação desses arquivos, a preservação física e digital dos documentos e sua difusão para o público.

Tapete “Desafio Vargas”

O tapete “Desafio Vargas”, reproduz um jogo de tabuleiro, foi desenvolvido especialmente para a sala. Simulando uma corrida presidencial, com acontecimentos que remetem aos governos Vargas, é o ponto alto da visita. Estudantes são divididos em dois partidos e precisam escolher seus candidatos à eleição.

Os participantes que não estão no tabuleiro atuam como assessores políticos dos candidatos, sendo desafiados a construir justificativas para as ações de seus representantes. Essa dinâmica incentiva a participação ativa, estimula o pensamento crítico, a argumentação e a reflexão sobre os valores democráticos e direitos fundamentais, contribuindo para o desenvolvimento de habilidades de análise e tomada de decisão.

Jogo “Verdadeiro ou Falso”

Estudantes também são convidados a participar do jogo “Verdadeiro ou Falso” sobre fontes históricas, patrimônio documental e preservação. Esse jogo permite que os educadores observem como estudantes construíam os conhecimentos ao longo da visita. A sala conta ainda com duas telas interativas com jogos e um totem com documentos sonoros do acervo.

Oferta de transportes

A oferta de transporte para escolas públicas na cidade do Rio de Janeiro e região metropolitana é uma medida adotada para garantir o acesso equitativo às visitas do projeto. Essa iniciativa é um reconhecimento das desigualdades existentes e busca proporcionar novas oportunidades de aprendizado e integração para esses estudantes.

Ao possibilitar o transporte, o projeto amplia significativamente o alcance das visitas, permitindo que estudantes de diferentes regiões tenham acesso ao acervo histórico do FGV CPDOC e à experiência de interação com o espaço cultural da instituição.

Impacto das visitas

É importante destacar o impacto social positivo dessas visitas. Os profissionais da educação que participam relatam que a atividade não apenas tem um caráter lúdico e pedagógico, mas também permite que os alunos tenham contato com diferentes espaços da cidade, como o bairro de Botafogo, a Casa Acervo e a própria FGV. Isso contribui para a ampliação dos horizontes dos estudantes, proporcionando-lhes uma visão mais ampla do ambiente em que vivem e estudam.

Com um total de 87 visitas escolares, entre 2022 e 2023, a Escola no Acervo alcançou 1677 estudantes e envolveu 185 profissionais da educação, 90% dessas visitas foram provenientes de escolas públicas. 

A iniciativa faz parte do projeto Difusão e Educação Patrimonial, coordenado por Daniele Amado e Martina Spohr, ambas professoras da Escola, e contou com o apoio da Rede de Pesquisa e Conhecimento Aplicado da FGV.

Game Casa Acervo

Além das visitas, a Casa Acervo lançou no ano passado um novo aplicativo “Game Casa Acervo”, que simula pesquisa nos arquivos pessoais de personagens da história política do Brasil. A partir de diferentes missões, o jogador pode passear por diversos tipos documentais e temáticas. O lançamento fez parte das comemorações da Escola pelos seus 50 anos.

Game Casa Acervo é mais uma iniciativa do Projeto Difusão e Educação Patrimonial do FGV CPDOC, que desde 2017, busca potencializar o acesso ao acervo histórico pela sociedade, promovendo a inclusão social por meio da educação patrimonial. O projeto também visa desenvolver atividades presenciais e a distância para alunos dos ensinos fundamental e médio, graduandos e profissionais das áreas de educação e de acervo.

Para saber mais, leia a matéria completa.

Local:
Casa Acervo
Rua Jornalista Orlando Dantas, casa 60, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ
Telefones: 21 3799-5696 / 21 3799-6167

Para saber mais sobre o Projeto Difusão e Educação Patrimonial, acesse o site.

Para conhecer mais sobre a Casa Acervo, acesse o site.

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.