FGV e Korea Foundation lançam estudo de orientação política sobre o acordo entre Mercosul-Coreia

Cadeias globais de valor e inovações regulatórias são os temas abordados no projeto em parceria com a Korea Foundation.
Relações Internacionais
18 Janeiro 2022
FGV e Korea Foundation lançam estudo de orientação política sobre o acordo entre Mercosul-Coreia

Apresentar possíveis estratégias e mecanismos que ajudem a viabilizar um acordo comercial entre o Mercosul e a Coreia do Sul é a proposta dos relatórios de orientação política (policy papers) desenvolvidos pelo Núcleo de Prospecção e Inteligência Internacional da Fundação Getulio Vargas (FGV NPII), em parceria com a Korea Foundation, uma das fundações mais relevantes da Coreia do Sul. Foi pensando em como superar tais barreiras, nos ganhos que o acordo pode trazer para ambos e também no deslocamento da importância financeira para a Ásia nas últimas décadas, que o projeto “Mercosur-South Korea Trade Agreement: A Framework for na Innovative Proposal” foi desenvolvido. A metodologia do estudo adotou duas perspectivas: uma focada em Cadeias Globais de Valor, e outra em Inovações Regulatórias.

Segundo Leonardo Paz Neves, coordenador do FGV NPII, a partir dessa divisão, foram criados dois grupos de estudo compostos por especialistas sul-coreanos e dos países do Mercosul, que produziram os dois relatórios finais do projeto com propostas objetivas para incrementar o acordo comercial. O desenvolvimento dos relatórios teve base na revisão de uma extensa literatura, reuniões de discussão, e em uma série de entrevistas com representantes dos governos dos países envolvidos. “Apesar desse panorama promissor, as negociações ainda encontram obstáculos concretos nos interesses protecionistas e conflituosos de alguns setores como o de manufatura e agricultura”, explicou Paz, que é o editor dos documentos.

Paz destacou que, após uma sequência de visitas diplomáticas e conversas informais, o acordo comercial Mercosul-Coreia começou a ser desenhado na sua primeira rodada oficial de negociações, em 2018. “De lá para cá foram sete rodadas ao todo, tendo a última ocorrido em setembro de 2021. É fácil entender que tal movimentação tenha chamado a atenção pela magnitude dos países envolvidos, porém, mais que isso, ela trouxe a esperança de crescimento econômico e de respiro para as economias do bloco”, disse.

Para Paz, a importância isolada desse acordo por si só já tem um peso considerável, tanto no incremento comercial entre as partes — capaz de impactar positivamente consumidores com produções mais eficientes e preços mais competitivos — quanto na possibilidade de aumentos reais de PIB, exportação e empregos que o acordo é capaz de promover. Além disso, ele ressalta que esse acordo seria de suma importância para o Mercosul em termos conjunturais, visto que o bloco tem poucos acordos com países relevantes economicamente e que as negociações com a União Europeia estão travadas até o momento. “Um acordo com a Coreia do Sul se apresenta como uma vitória estratégica, ou seja, uma espécie de válvula de escape para o governo brasileiro e os dos demais países do grupo.

Os relatórios estão disponíveis em:

Global Value Chains and Implications for the Mercosur-Korea Trade Agreement
Mercosur-South Korea Trade Agreeement: A Framework for an Innovative Proposal

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.