Professor de Harvard aborda desafios enfrentados por democracias no combate à COVID-19

Steven Levitsky respondeu perguntas a respeito dos impactos da crise consequente da pandemia. Falou que as fake news apresentam desafios às democracias em todos os lugares do mundo e comparou o impacto das redes sociais com o causado pela introdução do rádio e da televisão
Políticas Públicas
13 Maio 2020
Professor de Harvard aborda desafios enfrentados por democracias no combate à COVID-19

A Escola de Políticas Públicas e Governo (FGV EPPG) realizou, no dia 29 de abril, um webinar com o professor Steven Levitsky (Harvard) sobre o tema “Políticas públicas: um olhar objetivo da Covid-19”. O convidado abordou os desafios enfrentados pelas democracias enquanto poderes emergenciais são exercidos por governos em todo o mundo.

O professor Steven Levitsky respondeu perguntas a respeito dos impactos da crise consequente da pandemia. Falou que as fake news apresentam desafios às democracias em todos os lugares do mundo e comparou o impacto das redes sociais com o causado pela introdução do rádio e da televisão. Ele entende que haverá um período de adaptação da sociedade e das relações sociais e que eventualmente ocorrerá regulamentação do uso delas pelos Estados. Disse também que democracias estão lidando melhor do que se imaginava em convencer as pessoas a colaborar com as medidas mais duras.

Sobre as respostas à pandemia dos governos, Levitsky entende que há outros elementos mais importantes do que o fato de serem democráticos ou autoritários que explicam a rapidez na resposta, tais quais legitimidade e capacidade estatal. Falou sobre como a crise resultou em crescimento no apoio popular dos governos na maior parte dos países, com exceção de Donald Trump e Jair Bolsonaro. De acordo com ele, houve um enfraquecimento na performance dos líderes dos EUA e do Brasil no atual contexto.

Sobre a questão da restrição dos direitos civis, o professor ressaltou como sendo necessárias, desde que limitadas aos momentos e locais adequados para conter a pandemia e que não representam uma ameaça às liberdades democráticas. Levitsky não vê evidências de que os Estados pretendam estender essas restrições ao período pós-pandemia.

“É preciso diferenciar as medidas de restrição que de fato ajudam a conter o vírus, como restrição a aglomerações, de medidas de restrição de imprensa, como ocorreu na Hungria e em El Salvador. Sobre a restrição de direito a protesto, há justificativas razoáveis para a restrição. No entanto, é preciso negociar com a oposição essa restrição”, ressaltou.

Levitsky falou também sobre a descrença na construção de coalizões democráticas sem partidos políticos e como essa prática resultou em mais amadores na política, como no caso peruano.

Assista ao vídeo da palestra na íntegra: