Recuperação lenta da economia e China pautam I Seminário de Análise Conjuntural de 2020

Com a atividade econômica se recuperando lentamente, novos desafios surgem no cenário internacional. Além das expectativas de que o crescimento mundial ainda será moderado, o surgimento da epidemia de coronavírus tem gerado mais incerteza sobre o desempenho das economias, especialmente a chinesa, que pode ter impactos negativos no primeiro trimestre
Economia
05 Março 2020
Recuperação lenta da economia e China pautam I Seminário de Análise Conjuntural de 2020

O Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) realiza o I Seminário de Análise Conjuntural do ano logo após a divulgação do PIB de 2019 pelo IBGE, que indica que a atividade econômica avançou 1,1% ano passado, e em meio ao surto do coronavírus. Esses temas e o cenário político serão debatidos no encontro, no dia 9 de março no Centro Cultura FGV (Praia de Botafogo, 186. Rio de Janeiro), entre 16h e 18h.

Com a atividade econômica se recuperando lentamente, novos desafios surgem no cenário internacional. Além das expectativas de que o crescimento mundial ainda será moderado, o surgimento da epidemia de coronavírus originária da China, tem gerado mais incerteza sobre o desempenho das economias, especialmente a chinesa, que pode ter impactos negativos no primeiro trimestre, em função das restrições impostas pelo governo para evitar a disseminação do vírus no pais e no resto do mundo.

“O FGV IBRE havia mantido suas projeções de crescimento mais conservadoras em relação ao mercado, já que previa um cenário externo ainda muito desafiador. Com os eventos recentes confirma-se esse cenário de uma atividade moderada. Caso a magnitude desse choque se prolongue, será necessário rever nossas projeções do PIB para baixo. Tudo vai depender dos impactos que isso terá sobre o crescimento chinês e do resto do mundo. E um começo de ano bastante difícil que só com o tempo se saberá seus reais impactos sobre a economia brasileira”, diz Silvia Matos, coordenadora do Boletim Macro IBRE.

Nesse novo cenário, aliado com as dificuldades internas para alavancar o investimento, as perspectivas de crescimento mais vigoroso da economia brasileira ficam ainda mais difíceis de serem atingidas. Em função disso, é cada vez mais premente que as reformas econômicas avancem com mais rapidez.

Participam do encontro pelo FGV IBRE: Silvia Matos, Armando Castelar, Samuel Pessôa e José Júlio Senna. Maria Hermínia Tavares, pesquisadora do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) e professora aposentada da USP, é a convidada para analisar o cenário político.

Para mais informações e inscrições, acesse o site.